Michael Jackson – 1958-2009

Normal nunca foi uma palavra adequada para Michael Jackson. Desde pequenino, assombrava a todos com sua voz suingada e sua alegria ao cantar. Maduro, desinibido, envolvente, contagiante. Alguns duvidavam que aquele menino fenomenal tinha apenas 10 anos: “só pode ser um anãozinho de 45 anos”, diziam.

Quando dançava, então, era sobrenatural. Um dos deuses da dança que andou entre nós. Tornava-se o baixo, forte e denso, o violino chorando, um sopro, a bateria batia no ritmo do seu coração. Inventou o break-dance, criou sequências coreográficas icônicas, nos deu o moonwalk, seus giros eram impossíveis. Até hoje não tem par. Nunca terá. A energia de seu corpo em movimento era capaz de arrepiar 200 mil pessoas de só uma vez.

Mudou pra sempre a história da música: seu som juntava o soul, o black, o dance, o pop e até o rock. O primeiro artista a derrubar barreiras raciais e de gênero. Mudou a história dos videoclipes (que ele chamava de “short films” porque “a palavra vídeo não faz sentido”) e transformou o show numa performance. Ele não seguia tendência e influenciava além da música: emprestou à moda suas ombreiras, brilhos e militarismo, definiu cultura pop, reinventou a fotografia e o cinema para sua expressão artística. Músico, coreógrafo, bailarino, compositor, cantor, diretor, fotógrafo, poeta… E ele só queria ser conhecido como “entertainer”. Autêntico, inconfundível.

 Michael foi uma criança adulta e um adulto que não queria crescer, um Peter Pan que construiu sua própria Neverland, que morria de vergonha de tudo e de todos quando não estava se apresentando e que falava baixinho e com tamanha delicadeza que nem parecia ser o dono da mesma voz vibrante que explodia nos maiores palcos do mundo.

O artista que, sozinho, mais contribuiu com causas humanitárias. Morreu sem ver realizado seu maior sonho, o “Michael Jackson Children’s Hospital”, que ia ter palhaços, cinema e salão de jogos, “porque criança feliz se recupera mais rápido”.

Generoso, abraçava com o corpo todo, olhava nos olhos, gesticulava com as mãos abertas enquanto falava. Dividiu com a gente o que tinha de melhor. Quando penso em Michael, penso naqueles gritinhos, naquela mão que deslizava pelo corpo e provocava, naquele quadril soltíssimo, naqueles pés mágicos, naquele que era um dos sorrisos mais lindos do mundo. E sempre respondia aos fãs que gritavam “I love you” sem parar a níveis ensurdecedores: “I love you more”.

Deixa pra lá esses problemas que eram só dele e que a gente nem tinha o direito de bisbilhotar. Nunca ninguém sofreu tanto nas mãos da mídia marrom e teve que aguentar tantas mentiras e falsas acusações de quem só queria dinheiro, sempre o maldito dinheiro. Teve que explicar o inexplicável. E ganhou todas: “sou resistente, tenho pele de rinoceronte”. Invincible, unbreakable. Até o dia que ele quis dormir. A despedida ensaiada, o grande show, o maior de todos, a última volta ao mundo, não aconteceu. Ele deixou o palco enquanto a luz ainda estava acesa à espera dele. E todo mundo viu que ninguém mais poderia ocupar aquele lugar.

Ainda bem que temos o que ele nos deixou. Porque esse mundo vai ficar mais triste. E mais silencioso. E aquele arrepio que dava quando ele punha o casaco de paetê, a luva prateada e o chapéu e ouvíamos as primeiras batidas de Billie Jean vai virar um nó na garganta. Pelo menos por enquanto. Até a saudade deixar de ser uma lágrima e virar um brilho no olhar.

Goodnight, sweet prince.  Você sempre será o Rei do Pop.

 Vídeos de Michael Jackson no canal exclusivo do You Tube: http://www.youtube.com/michaeljackson

Anúncios

8 thoughts on “Michael Jackson – 1958-2009”

  1. An idol does not die! And for me you you michael does not die!
    I Adore you michael jackson! we will never abandon you, you will always stay in ours heart! bjs we adore you

    forever in mine heart!

  2. Lindas palavras… assino em baixo de tudo que você falou….
    amooooo o michael…

    REI, FICA COM DEUS… TENHO CERTEZA DE QUE ONDE VOCÊ ESTIVER ESTARÁ OLHANDO PELOS SEUS FÃS, COMO VOCÊ SEMPRE FEZ….

  3. Parabéns!!!Voce falou pouco mas falou bonito. O Michael Jackson era simplesmente um cara muito talentoso, cantava mto bem, dançando então… nem se fala…
    Apesar das suas “esquisitices”, eu ainda amo muito ele e sempre amarei…

    Michael, I love you so much!!!!

  4. Me sinto muito feliz, por mim mesma e por ele, toda vez que encontro outra alma capaz de sentir – e de expressar – um amor assim tão profundo. Obrigada pelas suas belas palavras, mas sou ainda mais grata pela emocão que causaram. Beijos!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s