Arquivo de etiquetas: curiosidade

large

O maior inimigo do conhecimento não é a ignorância, é a ilusão do conhecimento. Eu acho surpreendente como não estamos interessados em coisas como física, o espaço, o universo e a filosofia da nossa existência, nosso propósito, nosso destino final. Vivemos num mundo cheio de perguntas. Seja curioso.

The greatest enemy of knowledge is not ignorance, it is the illusion of knowledge. It surprises me how disinterested we are today about things like physics, space, the universe and philosophy of our existence, our purpose, our final destination. Its a crazy world out there. Be curious.

Stephen Hawking

Embora eu não consiga me mexer e tenha que falar através de um computador, em minha mente, eu sou livre.

Although I cannot move and I have to speak through a computer, in my mind I am free.

Mais frases de Stephen Hawking (em inglês): https://www.goodreads.com/author/quotes/1401.Stephen_Hawking

Anúncios

“A moda não perde seus direitos”

“Paradoxalmente, na Grã-Bretanha e na França, a guerra não fez desaparecer a moda, pelo contrário, estimulou novas expressões. Paris, especialmente, a despeito da Ocupação, pôde permanecer na vanguarda da moda, a da alta-costura, mas também daquele de um cotidiano a inventar com o que se tinha à mão. Houve uma moda bicicleta e mesmo uma moda bicicleta-táxi, como houve uma moda para entrar na fila (moda de verão e moda de inverno, certamente). Houve uma moda “zazu”: “As mulheres escondem sob pelos de animais uma blusa de gola redonda e uma saia plissada muito curta; seus ombros exageradamente carregados constrastam com os dos homens que os usam pendentes; longos cabelos descem em volutas em seu pescoço; suas meias são rajadas, seus calçados são baixos e pesados, elas carregam um grande guarda-chuva que, faça o tempo que fizer, permanece obstinadamente fechado” (L’Illustration de 23 de março de 1943).

Logo, toda mulher é convidada a criar seu próprio modelo de roupa ou capa, pronta para retalhar velhos trajes de homem, afirmando assim sua originalidade e sua capacidade de invenção. Mas Le Figaro aconselha sabiamente suas leitoras: com a condição “de não ser demasiado marcadas pela moda do momento, de maneira a poder sobreviver a ele”.

Maio de 1940, em Londres. Falsas meias pintadas e falsas costuras desenhadas pelas elegantes que não podiam sair com as pernas desnudas.

Moda de 1939: máscara de gás e ampla capa do costureiro Robert Piguet

O quase desaparecimento do couro está na base dos calçados de sola de madeira, que logo se tornam verdadeira moda, com modelos cada vez mais audaciosos.

Texto e fotos retirados do livro “As Mulheres na Guerra – 1939-1945, de Claude Quétel, Editora Larousse.

Vintage

E por falar em vintage, conheço um blog que é uma delícia pra quem gosta de imagens de antigamente: o The Tarnished Angels é um grande apanhado de informações, notícias, fotos e curiosidades. E o que é melhor: a maioria é brazuca mesmo! Muito legal ver imagens de gente hoje famosa e consagrada no comecinho da carreira. Corre lá e passe horas e horas exclamando: “Olha o fulano! Que novinho!”

.

Aliás, alguém consegue descobrir quem é a mocinha das fotos aí embaixo? A resposta aparece quando você passa o mouse em cima… Mas tente adivinhar primeiro! 😉

 

 

 

Fotos + Vintage me lembra o concurso de fotos antigas que o Sartorialist tá fazendo. Já viu? É muita beleza e histórias comoventes…