Arquivo de etiquetas: Tendência

O Mundo das Rendas

 

Os delicados fios trançados são valorizados pela moda romântica, artesanal e vintage. Conheça um pouco da história desse nobre tecido

 

Renda Filé (leia-se filê)

Renda Filé

crédito da foto

 

Este tipo de renda é como se fosse uma versão feminina das redes de pesca feitas pelos homens e muito usada em saídas de praia, xales e lenços. Sobre uma rede feita à mão, o artesão preenche os espaços vazados. As feitas com fibras naturais, como seda, linho e fios de algodão, são as mais valiosas.

.

.

Renda Guipure

renda guipure

crédito da foto

 

De origem francesa, é formada por arabescos em ponto túnel, unidos por finas correntes de fios, com o fundo vazado. Pode ser artesanal ou industrial e, em geral, é feita de linho, algodão ou qualquer outro fio bem fino. É muito usada em vestidos de noiva e roupas de festa.

.

.

Renda Renascença

renda renascença

crédito da foto

 

Muito trabalhosa, feita à mão com agulha de costura, é uma das rendas mais valiosas. Comum em Recife, a Renascença está ainda mais apreciada hoje por causa da moda artesanal e é exportada para muitos países, incluindo Europa, Emirados Árabes, Estados Unidos e Japão.

.

.

Renda Richelieu

renda richelieu

crédito da foto

 

Usada em saídas de praia e mantas, ela lembra um crochê bem fino. É formada em tela, com formas arredondadas e desenhos delicados, como um bico. O ponto é feito enrolando a linha na agulha, com um fio passando por dentro e formando cordões em diferentes volumes.

.

.

Renda de Bilro

renda de bilro 

crédito da foto

 

Originária da Itália, esta renda é muito popular no Nordeste brasileiro. Totalmente artesanal, é feita com o uso de uma almofada onde as agulhas são fixadas para guiar a trama, elaborada pelos movimentos dos bilros (pecinhas de madeira presas aos fios), orientadas pela posição das agulhas. Presença forte na moda e na exportação.

 

walter - renda

Vestido com renda de bilro, criação de Walter Rodrigues, 2001. Aplicações de renda de bilro produzidas pelas rendeiras da Associação das Rendeiras de Morros da Mariana, Piauí, no projeto Moda e Artesanato. Crédito da foto.

 

artesanato_400

As mãos da artesã tecendo a renda. Crédito da foto.

.

.

Renda Soutache

renda soutache

crédito da foto

 

Feita de materiais sintéticos, é uma renda rebordada com o fio soutache, um fio chato e fino, evidenciando os contornos da renda de baixo. É uma renda em alto-relevo e, embora cubra apenas pedaços do tecido, tem um caimento pesado. Fica ótima em detalhes, como golas e punhos.

.

.

Renda Chantilly

renda chantilly

crédito da foto

 

Uma das mais nobres e conhecidas, a renda chantilly é um misto de viscose e poliamida, o que a deixa com um caimento incrível e um toque aveludado. É um bordado em cima de um tule bem fininho e geralmente tem um pouco de elasticidade. Pode chegar a valores astronômicos: a da foto acima custa módicos R$670 o metro (!).

 

Samuel Cirnansck - Flor e Laço 2

Olha ela aí, no desfile do Samuel Cirnansck, no SPFW 2008.

.

.

Rendas Sintéticas

renda poliamida

crédito da foto

 

Mais baratas e fáceis de encontrar em diversos desenhos e cores. As de poliéster são bem populares mas não tem elasticidade e são ásperas. Boas para usar em detalhes em cima da roupa, sem contato com a pele. As rendas feitas com poliamida, como a da foto acima, são mais texturizadas e macias.

.

.

E você, gosta de renda e looks com renda? Qual é a sua preferida? 😀

 

Algumas das informações acima foram retiradas de uma revista Manequim de 2006.

Havaianas de Amarrar

   

Finalmente, estão aqui as Havaianas gladiadoras!

Depois de muito matutar, resolvi fazer assim, de forma que, se você quiser, dá pra trocar o tecido. Vamos à receita!

 

img_6102d img_6105b

Material

0,50 m de chitão com 1,40 de largura

1 par de chinelos Havaianas

Linha e agulha para costura ou máquina de costura

Botões ou enfeites

 

Modo de Fazer

 .

dscf2098b

Corte tiras de 6 cm de largura na lateral do tecido, sendo que ficarão com 1,40 m de comprimento. Emende mais um pedaço de 70 cm e você terá uma tira com 2,10 m. É necessário uma para cada pé.

 .

dscf2102c

Dobre a fita ao meio e costure, à mão ou à máquina, emendando aquele pedaço de 70 cm à tira de 1,40m.

 .

 img_6450b

Pegue a fita costurada e passa pelo meio das tiras da sandália e faça um nó. Tem que sobrar um pedaço igual de cada lado.

 .

img_6451b img_6453b img_6452b 

Vá enrolando, cobrindo toda a tira. Depois de cobrir tudo, dê um nó na última volta.

 .

img_6454b

Um lado já está pronto.

 .

img_6455b

Faça o outro lado igual.

 .

img_6457b img_6458b

Para cobrir o pedacinho da tira que ficou sem tecido, faça um lacinho ou um fuxico. Se quiser, decore com botões ou chatons.

 .

img_6460b

Pronto! Aqui estão suas havaianas de amarrar! Eu não gostei do efeito do laço na minha então eu acabei não colocando nada. Acho que o laço lá de cima já dá conta. Mas um fuxiquinho ficaria bonitinho…

 

Dicas

  • Chitão é um tecido que não desliza. Então fica firme na perna e segura bem. Mas, em compensação, é mais trabalhoso de por e tirar se você quiser ficar trocando. Nesse caso, opte por uma malha.
  • Por ser um chinelo bem colorido, é próprio para o verão em situações bem informais.
  • As tiras podem ser amarradas subindo a perna ou mais embaixo, somente no tornozelo. Quanto mais ela sobe, mais curta deve ser a roupa que você está usando, pra não dar a impressão que suas pernas estão achatadas. Ficam lindas com shortinhos.
  • Depois de passar a tira com o tecido, você pode bordar por cima: chatons, vidrilhos, miçangas, pequenas aplicações, florzinhas… 
  • Pra vender, você pode passar cola de contato na tira antes de enrolar o tecido. Aí, ele não sai mais.
  • Usando cola, também dá pra usar tecidos mais finos, como cetim sintético. Use cores escuras pra não manchar.
  • Se quiser, também é legal colocar contas nas pontas das tiras, fazendo um arremate.

 .

Tenho que agradecer minha mãezinha querida, que costurou a tira à máquina para mim!

.

Divirtam-se!!

 

Inspiração

Andei dando uma olhada no site da Vogue e me deparei com várias idéias que a gente pode adaptar fácil com o que provavelmente já está no guarda-roupa. Olha só:

 

Mistura de Estampas

 

É claro que você já tem uma saia estampada, uma blusa estampada e um cardigan. A dica para a mistura ficar agradável ao olhar é escolher padronagens que tenham pelo menos uma cor em comum. A mistura acima é ousada e não agrada a todos mas eu acho bem interessante a brincadeira de misturar.

Caro X Barato

Misturar um vestido quase de festa, feito com tecidos nobres e com uma modelagem diferenciada, com outra peça mais com cara de dia a dia dá um efeito “tô nem aí” instanteneamente chique. Eu acho bem legal combinar peças que aparentemente pertencem a universos paralelos.

Mulherzinha

É lindo ficar arrumadinha com aquele tailleur que está há séculos no seu guarda-roupa (ou estava no guarda-roupa da mãe e já foi devidamente reformado). Incremente com colares grandes, broches e sapatos com detalhes no salto ou na fivela. Ah, essa também é sempre uma boa compra de brechó.

Estampas

Mais estampas que eu amo (olha como é fácil misturar listas e bolas) e detalhes de cor que fazem toda a diferença. Uma coisa que sempre gostei é misturar uma peça em preto e branco com uma outra colorida e vibrante (como a última foto). O efeito é sempre surpreendente. Além das estampas coloridas, de cores brilhantes, as estampas gráficas e com toque étnico também estão com tudo.

Delicadeza

Floral com fundo branco é lindo e delicado, coisa de princesa. Repare que a saia e o blazer tem estampas diferentes. Acho lindo também a mistura de estampado floral com fundo branco e renda. Pode ser um colete branco em cima de um vestidinho floral, que tal?

Bijuteria

Bijuterias grandes, marcantes, cheias de personalidade. Se jogue sem medo. Se não achar uma com a sua cara, faça um colar de fuxicos, junte umas flores de miçangas ou de crochê, enfim, enfeite-se! E capriche no óculos retrô!