Arquivo de etiquetas: Customização

Peças Rápidas e Fáceis de Tricotar – Pequenos Mimos

Gosto muito de tricotar peças que tem uma modelagem mais democrática e podem ser usadas de vários jeitos. Geralmente peças pequenas, o que as torna rápidas de tricotar. Usando as novas lãs bem trabalhadas, não precisa nem inventar muitos pontos. Mas, se quiser, as tranças estão super em alta. SALVO QUANDO EU MOSTRAR, ESSAS PEÇAS NÃO TÊM RECEITA. Eu explico como fiz cada uma porque também não tive receita para elaborá-las. São pequenas peças perfeitas pra meia-estação ou pro inverno dos que não tem inverno! 😉

CAPINHA

Essa capinha é o seguinte: dois retângulos do mesmo comprimento e de larguras diferentes. O mais largo é trabalhado com o ponto turco (1 tricô, 1 laçada, 2 pontos juntos em tricô), começando e terminando a carreira com 10 pontos tricô. O segundo retângulo tem o mesmo comprimento e metade da largura e é todo feito em cordões de tricô. No arremate, sobre a costura dos 2 retângulos (a costura tem 1 terço do comprimento, sobre o centro da peça), um babadinho feito assim: são 8 carreiras em tricô, mas você começa, por exemplo, com 10 pontos e, a cada carreira, dobra o número de pontos, fazendo 1 tricô, 1 aumento, até o final da carreira. Pra saber com quantos pontos você vai começar, faça uma amostra pra ver o tamanho que você quer. O fio é 100% vintage, original dos anos 70, que minha mãe comprou antes de eu nascer. Que delícia tricotar um fio carregado de tanta história e guardado com tanto carinho.

GOLINHA/PELERINE/PALA

Essa peça é uma graça e fica bem pra todo mundo: dá pra usar por cima de vestidos, golas, camisas e até camisetas. Esse fio também é original dos anos 70 mas ainda é vendido. Ele se chama Club e é da Pingouin. É um clássico que pode ser encontrado na maioria dos armarinhos. Essa pelerine/gola usa a famosa técnica das carreiras invertidas, que são muito divertidas de fazer! Pra facilitar a contagem e poder fazer tricô vendo TV sem errar a receita, use um daqueles aneis marcadores de carreira japoneses. O negócio funciona mesmo! Tem pra vender no site da Aslan. E essa peça TEM RECEITA AQUI.

XALE/CACHECOL/GOLA

 

Coisa mais fácil do mundo: faz de conta que você vai fazer um cachecol mas coloca uma quantidade de pontos um pouquinho maior na agulha, pra ficar mais larguinho. Quando acabar de tricotar a tira, costure as duas pontas e pronto! Dá pra usar dos dois jeitos, como dá pra ver. Usei um fio que também já saiu de linha (eu compro muuuito antes pra fazer muuuito depois!) que é parecido com o Passion da Cisne mas tem umas bolinhas coloridas dentro, muito lindo.

BOLERINHO/CACHECOL

  

É praticamente a minha receita fácil de bolerinho de tricô, só que de mangas curtas, como este aqui. Colocando uma manga dentro da outra, ele vira um cachecol/gola. Usei apenas um novelo da Passion e tricotei com agulhas n.7.

BOAS TRICOTADAS!

Flores – Faça a sua

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Flores de tecido são lindas e fáceis de fazer. Da mais sofisticada, que usa renda e cetim, às mais rústicas e artesanais, como as de crochê (as fofuras aí em cima foi minha mãe que fez, exceto a roxinha, que foi presente da Lily), elas ficam charmosas como presilhas no cabelo, como broches enfeitando uma camisa ou blusa, ou até mesmo na bolsa. As de bijuteria, com chatons, feitas com canutilhos ou cristais, são pra quem tem experiência com bordado ou quer se aventurar no mundo da montagem de bijus! A Revista Manequim apresenta o passo a passo desses dois modelinhos de tecido pra você escolher e fazer a sua:

 

 

 

Na edição de setembro do ano passado, a Manequim também publicou uma flor muito fácil de rápida de fazer. Basta enrolar uma tira de tecido franzida e pronto! Foi essa ideia que eu usei pra fazer a flor cor de rosa clarinha aí em cima.

 

.

.

 

A página com as explicações foi fotografada da revista. Clica pra aumentar.

 

 

Customizando com Zíper

Todo mundo viu como o zíper apareceu nos últimos desfiles brasileiros. Menos como aviamento, mais como enfeite, seguindo a tendência dos metais. Eu aproveitei a onda e inventei o meu brochinho:

 

 

Pra fazer a flor, temos que começar fazendo pequenos elos de pedaços de 9 cm (mais ou menos a metade do zíper). Daí é só ir fazendo os elos e costurando uns nos outros com potinhos simples. Tem gente que usa cola quente, também dá certo, mas eu sou tradicional e sempre prefiro costurar. Além disso, estava experimentando, por isso desmanchei várias vezes pra saber o que ficava mais bonito. Se eu tivesse usado cola, teria perdido todo o material. Por isso, eu sempre digo que, com linha e agulha, não tem erro! O tecido do zíper é bem resistente e aguenta super bem ser “desmanchado”, se for o caso.

Pra fazer o miolinho, enrolei um pedacinho de zíper e fui dando um ponto a cada meia volta. Depois que a flor estava pronta, costurei o miolinho.

No total, usei 3 zíperes de 18cm cada. Como não consegui encontrar o tipo destacável, tive que cortar o “carrinho” e aparar as pontinhas, mas ficou bom. A marca do meu zíper é YKK e cada um custou R$0,84. Atrás, coloquei um fecho de broche, que é facilmente encontrado em lojas de peças de montagem de bijuteria. Esse fecho pode ser substituído por um alfinete.

E também inventei um enrolado de zíperes que pode ser usado como broche ou como pingente, alfinetado numa fita:

 

E como tem gente criativa nesse mundo! A Dri postou um broche de lacinho lindinho feito com zíper! E no site dela tem outros links, inclusive um vídeo, em inglês, de uma crafter ensinando a fazer flor de zíper com cola quente no programa da Martha Stewart e uma designer incrível que faz peças inacreditáveis.

Aproveite o feriadão e faça o seu! 🙂

 

Burda – Customizando…

A edição francesa da Burda sempre dedica 4 páginas à projetos de customização. Nunca me deparei com um projeto difícil… É tudo fácil e rápido de fazer. E o que é melhor: fruto de muito olho atento no que está acontecendo e, sempre, bom gosto. Dá uma olhada.

Sabe o jeans manchado, delavê, que o Balmain desfilou e todo mundo amou? Pegue uma calça escura, enrole não muito apertado, coloque no tanque ou num balde grande. Coloque uns 4 litros de água e 1 litro de água sanitária. Deixe de 5 a 8 horas e voilá! Sua calça Balmain está pronta!

Enfeite de correntes multi-uso! Dá pra usar na cintura, no colete, como colar, na blusa de babados (que ficou linda)… Você inventa. Seis correntinhas diferentes presas à uma argola. Mais fácil impossível…

Já essa ideia é pra transformar uma bolsa de tecido com uma decoração folk. Aplicação de tecido, enfeites e brochinhos…

Essa também é fácil e dá um super efeito. Parecida com os colarzões poderosos que aparecerem por aí. Aliás, o molde do meu saiu daí. Uma gola, com um furinho acabado com ilhós de cada lado, cheia de broches e enfeites. Corte a sua em feltro ou lã e junte todos os brochinhos que você tem em casa. Mas lembre-se que deve haver um mínimo de harmonia de cor.

Que tal tentar um desses projetos no final de semana?

Customização vapt-vupt com tachas

 

Se você ainda não cansou das tachinhas (eu ainda não cansei) e pretende fazer uma customização rápida, fácil e indolor, pense nessa ideia:

 

 

Receita

 

Uma camisa masculina vintage

Umas 100 tachinhas niqueladas

Um alicate (pra dobrar os ganchinhos na parte de trás das tachas – mais explicações aqui)

Umas duas horas do seu tempo e bastante capricho.

 

PRONTO!

 

Inspiração abaixo:

 

 

Faça a sua!

 

Camiseta + colar de tecido

Taí uma ótima ideia pra mudar a cara de uma simples regatinha branca: colarzão de tecido! Fácil de fazer, escolha uma das cores flúo da moda verão ou fique com o eternamente chique preto.

 

Esses dois são palas de renda bordada. Compre a pala pronta ou borde com miçangas, canutinhos e vidrilhos, prenda um pedaço de corrente em cada ponta e um fecho de bijuteria atrás e tá pronto! Tem muita pala de renda bonita aqui.

Botões encapados de tecido tb funcionam. O truque aqui é desenhar um colar com tecido e entretela e ir fixando os botões em cima. Você também pode usar botões de metal ou combinar todas as sobras de botão que você tem em casa! Reciclagem já!

Chatons combinam com glamour. De um único tamanho (grande) ou de vários formatos, borde-os sobre uma base de tecido.

Uma coisa assim meio cacique, praticamente uma gola de penas com acabamento em miçangas no decote. Pra quem quiser arrasar de verdade!

 Use com shortinhos jeans e sandália rasteira com pedras ou tipo gladiadora e tá pronta!

 Todas as fotos são do site Chic

Faça e Use: Cintinho de Corrente

 

 

Correntes! Além de terem aparecido aqui nos desfiles de verão, apareceram também lá no hemisfério norte nos desfiles de inverno. O brilho do dourado é atual e chique, conversa com as bolsinhas estilo chanel com alças de corrente e marca a cinturinha nos vestidos leves de verão. Fazer seu próprio cintinho de corrente é muito fácil!

Você vai precisar de fita de cetim ou gorgurão fininha, uma corrente grossa, linha e agulha. Marque na sua cintura quantos centímetros você vai usar pra dar uma volta (ou duas) e ainda um tanto de fita para fazer um laço. Corte esse pedaço e comece a passar pelos elos da corrente, por cima e por baixo.

 

 

Você vai ter que calcular quanto quer deixar logo no começo porque depois a fita não vai poder ser “arrastada” pela corrente, entende? Não dá pra puxar no final o que falta! Então, logo no primeiro elo da corrente, já deixe o comprimento certo sobrando e vá passando a fita até o outro lado. Corte um pedaço mais ou menos 30% maior do que você acha que vai precisar (ex.: se acha que 1 metro dá, corte 1 metro e 30 centímetros).

 

 

Passada toda a fita, arrume a corrente bem bonitinha, certificando-se que nenhum elo ficou torto ou virado. A fita também não pode ficar virada. Em cada ponta, dê vários pontinhos para a fita não escapar mais. Use uma agulha fina e linha da mesma cor da fita.

 

 

Pronto! Agora é só usar sua obra de arte! Pode ser cinto, colar, pode até virar pulsiera ou enfeite de cabeça.

 

 

O bonito da corrente é que ela conversa com tachinhas e tendência fluo (usar uma fita fluo com corrente dourada fica lindo), que são tendências marcantes do verão.

 

 

Belezinhas da Farm