Arquivo da categoria: língua portuguesa

8ª Jornadinha Nacional de Literatura

No começo deste mês de outubro de 2017, tive a honra de participar da 8ª Jornadinha de Literatura em Passo Fundo. Um evento onde pude encontrar leitores, professores, amantes do livro e da leitura e colegas de profissão. Um evento grandioso, fruto de um ano e meio de trabalho de profissionais apaixonados.

O espaço reservado às atividades da 8ª Jornadinha leva o nome de “Espaço Lendas Brasileiras, Clarice Lispector”, composto por quatro tendas com nomes alusivos às personagens de lendas brasileiras transcritas por Clarice Lispector (uma das autoras homenageadas, ao lado de Carlos Drummond de Andrade e Ariano Suassuna) na obra Como nasceram as estrelas (1987): Tenda Yara, Tenda Malazarte, Tenda Negrinho do Pastoreio e Tenda Curupira, lado a lado no Caminho do Saci.

22385187_1596913253695314_1650169790_n

Nas tendas onde nos revezávamos para conversar com alunos e professores, com lotação de 1250 pessoas, era um misto de emoção, curiosidade e aprendizado. Eles nos faziam perguntas e nós nos conhecíamos melhor a cada resposta. Temas importantes como bullying e a valorização da mulher eram abordados lado a lado com o folclore brasileiro e a importância da leitura.

Conversamos com 4 mil crianças e professores por dia. Olhinhos atentos, sorrisos nos lábios, lágrimas, risadas. A nossa vida muda e a delas também. Todos partem enriquecidos e plenos de gratidão à leitura, que nos proporcionou tudo isso.

 

 

Mais fotos você encontra aqui.

Os números são impressionantes:

22339247_1949605811722039_2772563040531256647_o

Muito obrigada, Editora Moderna, que me levou até lá!

Muito obrigada, Comissão Organizadora, que me convidou!

Muito obrigada, alunos leitores e professores, que me encheram de alegria por me fazerem ver que vale a pena todo o esforço e encantamento deste ofício!

Espero viver essa maravilhosa experiência novamente em 2019… ❤

Anúncios

Música

A língua portuguesa, para mim, é uma das línguas mais lindas do mundo. Literalmente, música nos meus ouvidos. Sons delicados, vogais abertas, consoantes vibrantes, encontros consonantais avassaladores.

A Revista Bula publicou uma lista das 40 palavras mais belas da língua portuguesa. Algumas estão ali pelo que representam, acredito, como Mãe e Respeito. Outras, dá pra sentir, estão ali pelo som, como Flamboaiã (quer coisa mais linda?), Melancolia (é preciso mastigar cada sílaba) e Efêmero (palavra que se desmancha na boca).

Parei aqui pra pensar em palavras que eu saboreio na hora de falar… Sereno, por exemplo, é uma delas. Sereno pode ser aquele de espírito pacífico ou aquele orvalho que cai de madrugada. A analogia me fascina: a hora escura e tranquila que chora. Sereno é uma daquelas palavras que tem que se falar de olhos fechados. Madrugada, taí outra palavra. O som do U que apaga a luz e os As que abrem os olhos para a imensidão de estrelas. Gosto do som do U. A gente faz biquinho quando fala, tem que ser dito com delicadeza. é praticamente impossível gritar o U. Mas é fácil prolongá-lo, como em lonjura. Quando se quer dizer que se está longe, mas longe mesmo, a gente diz lonjuuuuuuuura, e geralmente acompanha um gesto de estender o braço pra cima e jogar a cabeça pra trás. Palavra boa de falar a gente usa o corpo todo pra dizer.

Existem palavras especiais em todas as línguas, a nossa será sempre a intraduzível saudade. Existem as palavras quase secretas, que pouca gente conhece, até mesmo quem tem a língua portuguesa como mãe. Existem palavras que já morreram (junto, talvez, com quem as falava) e palavras que estão nascendo (junto, talvez, com quem esteja começando a inventar a vida).

Assista essa beleza aí embaixo e me diga: qual é a sua palavra?

para avançar no projeto do vídeo acima, clique aqui

Reforma Ortográfica

Gente, eu já tinha comentado aqui a respeito da Reforma Ortográfica da Língua Portuguesa e como é importante que a gente fique por dentro de tudo o que vai acontecer. Realmente, passou a lei e é oficial: a partir de janeiro está valendo.

Saiu hoje na Folha de São Paulo uma matéria de como os dicionários ainda estão confusos em relação a algumas regras que podem gerar dúvidas. Ao invés de passar para vocês o link da matéria (e deixar todo mundo arrancando os cabelos), passo novamente o link do professor Douglas Tufano, que agora deixou disponível um link com a “Reforma Descomplicada”, ou seja, explicando a reforma sem usar conceitos gramaticais que podem confundir quem não lembra mais o que é uma palavra oxítona ou um ditongo aberto.

Ah!, e pra quem lembra da gramática ou precisa de tudo nos mínimos detalhes, lá também tem.

Vai lá: www.douglastufano.com.br

Reforma Ortográfica da Língua Portuguesa: tem que saber

 

Todo mundo quer escrever e falar bem. Eu, pelo menos, gosto de escrever tudo certinho, sem aquelas abreviações que as pessoas costumam usar quando escrevem em blogs ou em conversas instantâneas. Leva mais tempo e prova que temos cuidado com nossos leitores e prezamos a compreensão textual. Esse papo de professora (o que posso fazer? É a minha vocação…) surgiu porque a língua portuguesa vai passar por uma reforma ortográfica, que vai mexer em algumas coisinhas chatas que nunca incomodaram ninguém e nos privar da companhia de um grande amigo: o trema. Sim, esse sinalzinho (¨) que tanto incomoda quem está começando a escrever (não sei bem o porquê de tanto incômodo) era o que nos ajudava a pronunciar as palavras de forma correta. Com o trema, o u é pronunciado, sem o trema, não. Será que, com o tempo, as pessoas vão esquecer de como se pronuncia sagüi? Ou ficarão em dúvida quanto à pronúncia de adquirir? Afinal, ficou tudo igual. Em alguns dicionários, o trema continua no verbete para explicar aos leitores a pronúncia da palavra. Em outros, o sinalzinho é substituído por uma frase inteira: “o u é pronunciado”.

A maioria dos especialistas diz que essa reforma só veio para complicar. Imagine quantos livros precisarão ser revisados, quantas apostilas refeitas, quantos profissionais envolvidos nesse processo?

Qualquer que seja sua opinião, uma coisa é certa: temos que saber o que vai mudar. O autor do Michaelis Português Fácil, da Melhoramentos, e de mais de 30 livros didáticos, Douglas Tufano, explica tudo: www.douglastufano.multiply.com