Arquivo de etiquetas: crochê

Peças fáceis e rápidas de tricotar – Coletes

 

As peças a seguir foram metade baseadas em receitas e metade adaptadas. Por isso, não tenho receita delas mas espero que sirvam de inspiração pois são peças fáceis e ótimas para as intermediárias, digamos assim…

 

IMG_7747 IMG_7749

Esse é um colete bem diferente. As costas são um grande retângulo em meia e só. A frente são duas tiras cruzadas e costuradas nas laterais. Fica muito aconchegante, porque a modelagem abraça o corpo. Usei o fio Pingouin Marte, que é bem grosso e sem torção, o que o torna extremamente delicado e um pouco difícil de tricotar, já que não pode ser puxado nem esticado. Algumas tricoteiras odeiam esse fio justamente por causa disso mas eu gostei. Ficou bem leve e macio, mas o caimento é um pouco rígido. Usei 5 novelos e agulhas 10.

 

IMG_8091 IMG_8095

Esse é basicão e facílimo. As costas são um grande retângulo, calculado na sua medida. Cada lado da frente deve corresponder a 1/3 das costas, ou um pouquinho mais se você quiser fechar mais o pescoço. É só costurar as partes e pronto! Para este colete me baseei numa receita tradicional de quimono, que é tricotado assim, com retângulos, sem diminuições nem aumentos. O capuz fiz porque sobrou lã. O ponto é o tijolinho (tijolinhos alternados em meia e tricô) e eu soltei um ponto a cada 8 para as laçadas na horizontal, desfiando-os até a barra. O acabamento em ponto caranguejo (crochê) é a mão da minha mãe! Eu (vergonha!!) ainda não aprendi a fazer crochê! Só sei fazer ponto baixo, ponto alto e corretinha… mas um dia eu chego lá! A lã é a Pingouin Família e agulhas 6.

 

IMG_8096 IMG_8100

Este colete foi adaptado de uma receita da revista Manequim. Ele é tricotado na horizontal, em ponto barra 3/2, o que o deixa com um caimento incrível. A receita original pedia o fio Pingouin Sedificada usado triplo, mas eu usei Pingouin Fricote e ficou ótimo! Muito fofo! O franzido da frente é conseguido na hora de costurar a gola. Foram quase 5 novelos e agulhas 10. Pra quem quiser, reproduzo abaixo a receita da Manequim:

 

Colete Azul

Tamanho: 40

Material
Pingouin Sedificada (usado triplo) – 6 novelos na cor 525 (m. blue); ag. para tricô PINGOUIN nº 10.

Pontos empregados: Ponto Fantasia – 1ª carr.: * 3 m., 2 t. *; repetir de * a * até o final. 2ª carr.: tric. acompanhando o p.Repetir sempre as 1ª e 2ª carr. Cordão de tricô – direito e avesso em t.

Amostra: um quadrado de 10 cm em cordão de tricô e 3 fios tricotados juntos = 8 p. x 14 carr.

Como fazer

A peça é feita com 3 fios trabalhados juntos.
Montar 30 p. e trabalhar em p. fantasia, aum. à esquerda, cada 2 carr. 2 p. (9 v.). A 17 cm do início, formar a abertura da cava dividindo o trabalho da seguinte maneira: trabalhar sobre os primeiros 24 p. e deixar o p. restantes à espera. A 37 cm do início, deixar esses p. à espera e retomar os 24 p. da esquerda. Trabalhar em p. fantasia até obter 37 cm do início. Juntar os 48 p. na mesma ag. e continuar trabalhando em p. fantasia. A 83 cm do início, formar a abertura da outra cava da mesma maneira que a primeira. A 103 cm do início retomar todos os p. na mesma ag. e dim. à esquerda, cada 2 carr. 2 p. (9 v.). A 120 cm do início, rem. acompanhando o p. Para formar a beirada inferior da peça, unir o fio no p. do canto da Frente Esquerda, levantar 66 p. até o p. central das Costas e trabalhar em cordão de tricô. A 12 cm do início, rem. Unir o fio novamente no p. central das Costas, levantar 66 p. até o p. do canto da Frente Direita e trabalhar em cordão de tricô. A 12 cm do início, rem. Unir as beiradas no centro das Costas com p. invisíveis.

Colete - Manequim

 

 

 

 

Omaguás – Uma Praça com Arte e Muitas Histórias

Tem uma pracinha em Pinheiros que passa quase despercebida nos dias da semana para os mais desatentos. Cheia de árvores frondosas e antigas, é um ótimo lugar para ler um livro ou revista, já que fica bem em frente da Fnac Pinheiros. Também é um bom lugar para namorar, bater um papo… Seria melhor se fosse um pouco mais policiado, pois em algumas ocasiões há pessoas ali que podem causar distúrbio a essa paz.

Mas vamos para o lado bom: no fim de semana, mais precisamente no domigo, acontece ali uma feira de artesanato diferente, pois junta também música ao vivo, sempre com convidados muito especiais. Neste domingo, foi a vez do Chorinho na Praça com o Conjunto Retratos:

 

 

Mas o meu maior interesse é na produção artística mesmo, encontrar produtos interessantes e pessoas brilhantes e aqui estão elas:

 

Marlene – Arte em Seda

Há 8 anos, a Marlene vive de pintar seda. Começou como estagiária num atelier de pintura, desenvolveu a própria técnica e voilá! Além do panô ao lado dela na foto, ela também faz cintos, faixas para a cabeça, vestidos, camisetas e roupas para criança. Um trabalho finíssimo. Além da Praça dos Omaguás no domingo, também expõe na Benedito Calixto aos sábados. Tem site e manda a peça pra você: www.lilimarlene.com.br

 

 

Paulina – Arte em Vidro

A Paulina é uma chilena que ja mora no Brasil há 19 anos e trabalha com vidro, reciclado ou reaproveitado. Utiliza duas técnicas diferentes para confeccionar as peças: a Barcelona, que imita vitral, e a Murano, que imita as decorações dos famosos vidros italianos. Também faz bordado e aplicações de vidro. O que eu achei mais legal é o trabalho com garrafas de vidro antigas, como essas de Coca-Cola. Além disso, se você tiver uma garrafa de estimação, pode levar pra ela que ela pinta e borda! Contato: (11) 8204-2325 ou paulina.ateliertrazluz@hotmail.com. Também expõe na Benedito Calixto aos sábados.

 

 

Hilton – Arte em Havaianas

 

Somos todas loucas por sandálias Havaianas, né? Então pode pirar no trabalho do Hilton! Esse pernambucano que está em São Paulo há 9 anos faz tiras de havainas de tecido, encapa pulseiras e colares de bolinhas que dão um up em qualquer produção basiquinha! E como agora liberou geral a bijuteria grande, se jogue mesmo nos colarzões! E havainas nos pés! Pode mandar email que ele manda as havaianas pra você onde você estiver: pedechineloacessorios@hotmail.com ou (11) 9661-5748. Também expõe na Benedito Calixto aos sábados.

 

 

Maria Helena – Arte em Customização de Bolsas

 

A D. Maria Helena tem uma história linda: depois de fazer dois anos da faculdade de direito, largou tudo e foi seguir seu sonho: ser artista. Começou se formando em Educação Artística e dando aula. Até que um dia, a vida lhe pregou um susto: foi diagnosticada com Mal de Parkison. Os alunos começaram a perceber sua mão tremendo e pediam pra ela não ficar nervosa. E aí que ela ficava! “Cansei de explicar! E resolvi parar de dar aula”, conta ela. Isso foi há 8 anos. Numa véspera de Natal, achou um saquinho de juta que tinha sido embrulho de presente e começou a decorá-lo. Gostou tanto da brincadeira que comprou 50 saquinhos e decorou-os todos num só dia! E, no dia seguinte, vendeu 35 de uma vez! Depois disso, não parou mais. Hoje, compra bolsas prontas e “cruas” e customiza, utilizando o que estiver à mão. Além disso, também trabalha com restos de confecções de lingerie e sobras de tecido. Mas ela também faz as próprias bolsas, como essa de babados cor de rosa logo em primeiro plano na foto. Todas peças únicas. Pra encontrar com ela e conhecer seu trabalho, tem que ir pessoalmente na Benedito Calixto aos sábados ou na Praça dos Omaguás aos domingos. Garanto que vale a pena! Além do trabalho ser LIN-DO (pasmem, ela já fez bolsas pra Ópera Rock e outras grifes badaladas da Oscar Freire) a D. Maria Helena é uma simpatia total! Estava acompanhada da mãe, uma sorridente senhora de 92 anos! Lindas!

 

 

Larrisa – Arte em Crochê

 

Desde menina, Larissa já brincava com fios e linhas. Fez macramê, camisetas, tie-dye e, quando ficou grávida, há seis anos, descobriu o crochê. E não largou mais. Algumas de suas peças misturam crochê com chita e ela tem um ponto lindo! Tudo certinho, sem nenhuma linha pendurada! Os bolerinhos, então, são um primor! Agora, pra primavera/verão, arrasam em cima de qualquer vestidinho básico ou mesmo em cima de uma camiseta. Já confeccionou peças para marcas famosas, inclusive a francesa Rossignol, que é a marca das Olimpíadas de Inverno. Vale muito a pena conhecer o trabalho dela, que é formada em Turismo e Yoga. Linda desse jeito, ficou toda tímida na hora da foto! Contato: (11) 9870-1125 ou larissakarpo@yahoo.com

 

 

Fim (por enquanto) das minhas aventuras na Praça dos Omaguás. Mas com certeza ainda vou falar muito dessa feirinha tudo-de-bom, onde a gente conhece histórias geniais e trabalhos lindos. Ou seria histórias lindas e trabalhos geniais? A feira também tem site: www.feiraomaguas.com.

 

Lindo, meigo, fofolete!! Detalhe do trabalho da Dona Maria Helena
Lindo, meigo, fofolete!! Detalhe do trabalho da Dona Maria Helena

Tricomania

Encontrei um site A-LU-CI-NAN-TE com receitas e idéias de tricô e crochê maravilhosas! Embora seja todo em inglês, mesmo para quem não conhece o idioma mas já tem uma certa intimidade com linhas e agulhas, pode arriscar sem medo! Receitas explicadinhas, muita criatividade e até algumas lãs e receitas à venda, pra quem não se contentar com pouco.

Dá uma olhada nessas bolsinhas e veja se não são apaixonantes:

 

CORRE LÁ!