Arquivo de etiquetas: relacionamento

Antes de você me tocar,
eu era uma jaula
cheia de coisas selvagens.

Minha mãe costumava dizer,
“cuidado com os lobos,
eles conseguem sentir o cheiro
da cama das ovelhas,
a quilômetros de distância.”

Então, todas as noites,
eu dormia nua
e acordava cheirando à lua,
pois minha mãe nunca soube,
que não é o lobo
que dorme com a ovelha,
é a ovelha quem primeiro precisa aprender
a correr com os lobos.

O que eu estou tentando dizer é,
eu sempre me perguntei
como seria o inferno.
Eu apenas nunca imaginei
que eu iria amá-lo
tanto.

Before you touched me,
I was a cage full of
wild things.

My mother used to say,

‘be wary of wolves,
they can smell
the beds of lambs
from miles away.’

so every night
I would sleep naked
and wake up smelling of the moon,
for my mother never knew,
that it is not the wolf
who sleeps with the lamb,
it is the lamb who must first learn
how to run with the wolves.

What I’m trying to say is,
I always wondered
what hell would feel like.
I just never imagined
that I would love it
so goddamn much.

[Pavana]

arte: Painting by Lola Gil

Yelena Bryksenkova 09

A capacidade de ficar sozinho é a capacidade de amar. Pode parecer paradoxal, mas não é. É uma verdade existencial: apenas aquelas pessoas que são capazes de ficar sozinhas são capazes de amar, de compartilhar, de penetrar o âmago de outra pessoa — sem possuir o outro, sem se tornar dependente do outro, sem reduzir o outro a um objeto, e sem se tornar viciado no outro.

The capacity to be alone is the capacity to love. It may look paradoxical to you, but it is not. It is an existential truth: only those people who are capable of being alone are capable of love, of sharing, of going into the deepest core of the other person—without possessing the other, without becoming dependent on the other, without reducing the other to a thing, and without becoming addicted to the other.

[Osho (Bhagwan Shree Rajneesh)]

arte: Yelena Bryksenkova – Dancing Alone

Eu pensei que podia te consertar. Mas fui eu que acabei quebrada.

I thought I could fix you
But I broke myself instead.

[Kirstin Walter]

“Veja bem”, disse ela, “seu primeiro amor não é a primeira  pessoa para quem você entrega seu coração. É a primeira pessoa que o despedaça.”

“You see,” she said, “your first love isn’t the first person you give your heart to. It’s the first one who breaks it.”

[Lang Leav]

Ilustração: American Red Cross water rescue manual, 1974

Eu não estou procurando pela minha metade. E não quero ser a metade de ninguém. Nunca. Não porque eu não quero experimentar o amor e toda mágica e encantamento que ele oferece, mas porque eu já estou inteira.

I’m not looking for my other half, and I don’t want to be anyone else’s other half. Not ever. Not because I don’t want to experience love and all the magic and wonder that it has to offer, but because I am already whole.

[Claudine Chicheportiche]

Artwork by Joe Webb

Mural by Syrian artist Tammam Azzam photoshop art

Todo mundo diz que o amor dói, mas isso não é verdade. Solidão dói. Rejeição dói. Perder alguém dói. Inveja dói. Todos confundem essas coisas com amor, mas, na verdade, só o amor elimina toda a dor do mundo e faz com que uma pessoa se sinta maravilhosa novamente. O amor é a única coisa nesse mundo que não dói.

Everyone says love hurts, but that is not true. Loneliness hurts. Rejection hurts. Losing someone hurts. Envy hurts. Everyone gets these things confused with love, but in reality love is the only thing in this world that covers up all pain and makes someone feel wonderful again. Love is the only thing in this world that does not hurt.

Mehmed Meša Selimović

Photoshop art do artista sírio Tammam Azzam