Arquivo da categoria: vintage

Moda de Época

Acabo de ver que haverá um lançamento nos Estados Unidos de um filme chamado Austrália, com Nicole Kidman e Hugh Jackman. O filme se passa durante a segunda guerra mundial e está chamando a atenção pelo par protagonista e pelo figurino. Catherine Martin, que já levou o Oscar na categoria por Moulin Rouge, está fazendo um trabalho muito especial novamente. As roupas que a personagem de Nicole usa são avançadas para a época, inclusive o escândalo das calças, e lindas. As primeiras fotos divulgadas já dão o que falar.

 

nicole-kidman

Vestido com inspiração chinesa e as pantalonas de cintura alta

 

Este ano, assisti outro filme de época cujo figurino me chamou muito a atenção: O Despertar de uma Paixão (The Painted Veil). O filme se passa na China, onde um casal de ingleses vai morar. Ele (Edward Norton), médico, vai trabalhar no combate ao cólera, ela (Naomi Watts), socialite, fica infeliz e acaba se apaixonando por outro homem, que a ilude. O tempo passa, o cenário de miséria e doença não muda, e histórias de vida vão se juntando à história de vida do casal. No fim do mundo, longe de tudo e de todos, eles acabam, finalmente, descobrindo o que é o amor. O livro é baseado no romance de Sommerset Morgan, um dos escritores mais apaixonantes da língua inglesa.

 

the-painted-veil

 

Mas não conto o final do filme pra não estragar a surpresa. Procurem pra assistir que vale a pena. E reparem no figurino, dos mais lindos.

 

despertar-1  despertar-2  despertar-3  despertar-4  despertar-5  despertar-6    despertar-71  despertar-8

 

Outro livro de Sommerset Morgan que também virou filme foi The Wings of the Dove (As Asas do Amor), que também vale muito a pena pela linda história do que é o verdadeiro amor e pelo figurino. Além disso, o filme se passa em Veneza… precisa dizer mais alguma coisa?

 

wings

 

Pra assistir bem acompanhado… *suspiro*

O que eu estou ouvindo

Minha trilha sonora ultimamente tem misturado elementos diversos, todos inspiradores.

 

YAEL NAIM

Yael Naim é dona de uma voz suave que canta em inglês, francês e hebraico. Seus arranjos são meio folk, meio sexy e convidam a brincadeiras. Às vezes, tem um tom de melancolia que não chega a deprimir mas faz pensar. Além disso, a menina tem um estilo todo lindo, confortável, boêmio e despretensioso. Vale a pena! Ah, a moça também tem site.

yael-naim2

 

 

MADELEINE PEYROUX

Diva total, voz de Billie Holiday. Pra quem gosta de jazz (ou quer tentar), experimente. A música convida à dança e ao sorriso. Estou ouvindo Dreamland mas tem outros dois cds da cantora disponíveis para venda. Escolha o seu. Seu estilo é delicado, muita seda, cores suaves ou estampas marcantes, que parecem ter sido pintadas à mão.

 

 

AMY WINEHOUSE

Falem o que quiser do estilo suicida de vida, dos escândalos, das drogas, mas nunca esqueçam o principal: essa menina sabe cantar. Sua voz nem é tão de veludo mas sua interpretação é de rasgar o coração. Qualquer um dos cds de Amy vale a pena. No momento, estou ouvindo Back to Black, um cd de 50 minutos de música da melhor qualidade.

E não dá pra falar de Amy sem falar no seu corajoso estilo “sessentinha dos infernos”, com o mega hair e o delineador, suas duas marcas registradas. Pra se inspirar, não pra copiar!

 

Pra quem quiser tentar fazer o cabelão, esse cara ensina tudo: http://www.youtube.com/watch?v=mVoxsRmZrC8

 

 Se bem que, agora, ela está assim:

amy1

 

Ui! Onde essa menina vai parar???

Acho que dá…

Modelo da Burda Moden - 1956

Enquanto se leva mais tempo e, às vezes, se gasta mais, para encontrar algo que não incomode suas posturas éticas, está muito em voga a moda vintage. Acho isso ótimo, como já comentei neste blog, porque é uma atitude anticonsumista e extremamente inteligente. Não precisa ter marca famosa, mas pode ter uma ligação afetiva, o que é muito mais relevante.

Se você usa o vestido da sua avó, reformado ou não, esse vestido tem uma história que você está ajudando a contar. Não é sair por aí caçando num brechó de marca um vestido que não tem nada a ver com sua história de vida e seu gosto, e ainda por cima é meio caro. Essa busca é boa quando é feita dentro de casa, sozinha ou com amigas (mãe, pai, irmãos e irmãs também podem ser amigos). Redescobrir a história daquela peça, daquele anel, reencontrar uma foto de alguém usando aquele vestido (“quando e para quem foi essa festa?”) é muito mais do que simplesmente se vestir bem. É viver bem.

Aliás, amei a sapatilha aí de cima e o tom do verde é fantástico… É só tirar o tutu!