Arquivo de etiquetas: Blogs

Tricotando pela WWW

Links que eu amo, de tricô, de paixão pelo tricô, de coisinhas bonitinhas demais para comprar! Vamos lá:

Comprar lã: em inglês, tem o fabuloso Elann. Nunca comprei, mas só ouvi coisas boas a respeito. No Berroco também tem uma variedade enorme, especialmente de fios naturais. Se não for comprar, vale a visita pela belezura das meadas… Em português, compro muito na Aslan, que só vende pacotes fechados a um ótimo preço. A Milady também vende lãs diferenciadas e acessórios, além de compartilhar receitas.

 

  • Receitas: em inglês, o mesmo Berroco acima disponibiliza receitas gratuitas e pagas. Dica: dá pra se divertir bastante sem pagar nada. Tire um tempinho pra olhar com calma. Em português, a Cisne e a Pingouin tem sites ótimos com receitas, explicações e tabelas de cores de seus fios e outros dicas práticas de lavagem e conservação. E por falar em receitas, já comprou a sua Edição de Luxo Outono/Inverno da Mon Tricot? O melhor é que tem um monte de peças facinhas, glossário de pontos e acabamentos e várias receitas com os fios clássicos da Pingouin, pra usar o que você tem guardado.

 

  • Blogs de apaixonadas pelo tricô: Coração de Tricô e o Mon Tricot, sempre uma inspiração. E aproveita as super aulas do básico do tricô que o Superziper tá dando… Outro lugar bem interessante é uma comunidade, em inglês, onde todos os apaixonados por tricô e crochê do mundo se encontram: entre no Ravelry.

 

  • Para comprar: a Koki faz acessórios fofíssimos e muito divertidos de tricô e crochê. Coisa mais linda… E a feiticeira das agulhas é na verdade uma encantadora dos fios. Verdadeiras obras de arte que ela faz e vende com carinho. Clica lá.

 

.

Boas tricotadas!

P.S. Importante!! > Não me lembro de onde peguei as duas imagens que ilustram este post! Se alguém conhecer, por favor, me avise para eu dar os devidos créditos!

Lições Básicas de Fotografia para Blogs e para a vida – ESTILO

dance 04dance 05dance 06dance 03

Primeira pergunta que você deve se fazer antes de começar a fotografar: quem sou eu? Segunda pergunta: qual é o meu estilo? Depois de respondidas, olhe para o equipamento que você tem. Leia o manual (é chato, eu sei), conheça sua máquina, pesquise, teste, tire muuuitas fotos. Explore todas as possibilidades. Avançando um pouco mais, experimente um programa de edição de imagens. Se não puder comprar, use um on line, como o Picnik.

Tirando muuuitas fotos, você vai aprender a posicionar seu corpo no melhor ângulo, fazer a melhor cara, olhar do melhor jeito. A seguir, apresento algumas dicas, mas lembre-se: vale tudo desde que se respeite o seu estilo e quem você é.

  • Sorria! No começo, pode até parecer ridículo sorrir sozinha para uma máquina. Mas, acredite, um sorriso muda o olhar, a expressão e o rosto todo se ilumina. Não precisa ser um sorriso escandaloso, basta uma pequena intenção. E sua foto vai ficar mais bonita.
  • Carão! Se você se sentir mais ousada, tente fazer um ‘carão’: pense na Rachel Zimmerman ou em qualquer outra top, posando pra uma Vogue da vida e pronto! É o poder!
  • Postura! Barriga pra dentro e peito pra fora serve pra vida toda, não só na hora da foto. Mesmo na famosa pose de arqueando-as-costas-e-colocando-as-mãos-na-cintura há uma certa técnica e a coluna tem que voltar pro lugar.
  • Ângulo! De baixo pra cima, nunca! Coloque a câmera pelo menos na altura dos seus ombros. E de cima pra baixo vai parecer que sua cabeça cresceu! A altura deve variar entre os ombros e a cintura, nem mais pra cima, nem mais pra baixo.
  • Dance! Colocar uma música facilita muito e ajuda a desinibir. Imagine-se dançando e faça poses. Solte-se, mesmo se essas fotos não forem pro ar, vão te ensinar muito sobre sua imagem e seu corpo.
  • Aumente! Publique fotos grandes, para que seus leitores vejam detalhes. Fique perto da câmera, o suficiente para vermos sua expressão facial.
  • Divirta-se! Acima de tudo, tem que ser divertido, senão serve pra quê? Nada de stress, hein?

DANCEdance 02OTC_Paloma2OTC_Paloma

 

BOAS FOTOS!

 

Todas as fotos são daqui.

 

Lições Básicas de Fotografia para Blogs e para a vida – LUZ

A escolha da iluminação depende diretamente do seu estilo de vida, de roupa e da sua personalidade. Não é uma escolha tão simples…

.

FLASH!

343221_Rachel-Lynch-web343897_IMG_1448

A luz do flash direto na câmera produz uma imagem chapada e bidimensional. Combina com cores fortes, ousadia e ambientes um pouco caóticos. É bem difícil conseguir uma imagem sem sombras deformadoras ou que não fiquem super expostas (claras demais). Por isso, se puder evitar, evite. Se não conseguir, afaste-se da luz, como diriam naquele filme de terror! Fique a pelo menos 2 metros de distância da câmera para as sombras serem amenizadas. Fotos do Lookbook.nu

.

LUZ DE DENTRO + LUZ DE FORA

lastweek

Lembra da dica de usar a luz da janela nas fotos de interior? Então, às vezes, essa luz pode ser misturada ao flash ou à luz normal da lâmpada. As câmeras digitais já tem um mecanismo de compensação e correção de temperatura dos brancos. Traduzindo: ela corrige as cores erradas provocadas pelas diferentes temperaturas das luzes presentes na cena. A luz da janela, chamada de luz do dia, é mais branca que a luz da lâmpada, que é amarelada. A câmera lê essas duas luzes e faz uma média, pra imagem não ficar nem amarela nem super exposta (branca demais). Quando isso não acontece, programinhas básicos de edição, até aquele editor que já vem com o Windows, fazem o serviço com um clique (correção automática). Foto daqui.

.

“ERROS” QUE DÃO CERTO

pretty exposição 01

As duas fotos acima tem um “erro” em comum: estão super expostas. Perceba que as luzes formam uma mancha branca na imagem: na primeira, não vemos o pé na frente e a mão fica confusa; na segunda, a rua e a parede se juntam numa mancha só. Mas, o que poderia ser um erro, vira arte! A luz do sol na menina na grama contribui para um clima de verão, de calor, exatamente como o vestidinho que ela está usando. Aliás, os brancos do vestido ficaram evidenciados com isso, percebeu? E o tapete branco atrás desse casaco azul e das pernas negras a colocaram num palco. Sabendo aproveitar as condições de luz, podemos criar uma imagem de impacto. Fotos daqui e daqui.

 

A mesma ideia serve para a situação contrária, com menos luz do que seria a leitura correta.

escuro foco 02

Na primeira foto, a pouca luz “apagou” o vestido e evidenciou os acessórios coloridos. Na segunda, as correntes e o rosto marcante e bem maquiado ficaram em evidência. Fotos daqui.

 

Lições Básicas de Fotografia para Blogs e para a vida – IN/OUT

 

Há muitas diferenças entre fotos de interior e fotos de exterior. Fotos de interior são sempre mais difíceis por causa da luz adequada: na maioria das vezes, teremos que usar luz artificial ou flash. Mas tudo depende do clima que você quer passar. Vamos lá!

.

TIRE FOTOS AO AR LIVRE

Karla karla 02

Sempre que possível, tente tirar fotos num ambiente externo. Melhor ainda seria se esse ambiente conversasse com sua produção. Repare nas fotos da Karla: na primeira foto, a meinha verde conversa com as árvores lá atrás e, na segunda, os tijolinhos conversam com o casaco e a sandália. Não, nada disso é acidental. Foi pensado e calculado. É isso que faz uma simples foto virar uma imagem de impacto.

.

CRIANDO UM CLIMA

cherry 01

Nessa foto, tudo contribuiu para o clima intimista e sensual inspirado pelo casaco fofo: a maciez da roupa, do lençol e a luz suave que entra pela janela. Não é à toa que o lençol é branco: ele serve como rebatedor senão o rosto dela ficaria muito escuro. Refletindo a luz, ele equilibra o contraste. Mas repare: a proposta da roupa e da foto combinam! É nisso que se tem que pensar na hora de montar uma composição. Foto daqui.

 

Lições Básicas de Fotografia para Blogs e para a vida – FOCO e QUADRO

O foco, assim como os planos, é muito importante para criar clima. A maioria das máquinas é automática e regula o foco por aproximação ou afastamento do objeto. Mas com um pouquinho mais de treino, dá pra brincar bastante e produzir imagens muito bonitas. O quadro, ou enquadramento, direciona o olhar e dá outros pontos de vista.

.

IMAGEM DE SONHO – SEM FOCO

zara-vest-1

Já percebeu que quando uma imagem é delicada e evoca sonhos e desejos, ela é geralmente meio embaçada? Isso porque se alude à impressão de que nem sempre nos lembramos claramente de nossos sonhos e nossos desejos não estão tão bem definidos em nossas mentes. Dá pra reproduzir esse clima na fotografia com foco difuso, meio embaçada, geralmente cheia de luz. Incluir no quadro elementos macios, transparentes e de cores suaves enfatizam esse clima. Foto daqui.

.

FOCO ESPECÍFICO PARA DETALHES

sonia-4

Sabendo regular o foco, podemos apontá-lo para evidenciar uma cor, um objeto, um detalhezinho qualquer. Na foto acima, não há dúvidas que o objetivo foi mostrar a pulseira, já que todo o resto da foto está “embaçado”. A foto fica com textura, repare: dá a impressão que dá pra sentir o frio da pedra da pulseira, em contraste com o calor do casaco vermelho e a maciez da pele. Foto daqui.

.

ENQUADRAMENTO

summer3

 sonia-121

O enquadramento também serve para detalhar e evidenciar, seja ‘cortando’ um pedaço da imagem ou ‘estourando’ um detalhe no quadro todo. De qualquer jeito, a imagem fica geométrica: as linhas diagonais, horizontais e verticais ficam bem definidas, assim como as linhas de perspectiva. A imagem cheia (como a primeira) fica um pouco chapada e deve ser bem trabalhada com a luz. A segunda imagem, cortada, evidencia o detalhe e deve ter o foco bem cuidado. Fotos daqui e daqui.

 

Lançamento – Para Francisco

Não era só um lançamento de livro. Era um encontro. Pessoas foram até lá pra ver como é ser alguém que conseguiu superar a perda e a dor por meio da beleza. Porque o texto é lindo e a pessoa que o escreve também. O bate-papo começou descontraído, quase tímido. Poucas perguntas. O que perguntar pra alguém que já disse tudo? O que ainda pode se pedir para ver diante de alguém que nunca se esconde?

 

img_4553

 

Cristiana Guerra sorri pouco. Mas quando sorri, sorri com todos os dentes e toda a vontade. Sua economia de sorrisos não se reflete em suas palavras. Escreve muito, fala muito. O livro foi e é mesmo para Francisco, o filho que ela teve dois meses depois de virar viúva. “Ele vai gostar de ver o que escrevi quando crescer? Não sei”, diz ela, quando perguntada sobre sua exposição. Ela se expõe, ela se admite assim, aberta para a vida e para o mundo. Francisco não escolheu isso. Por isso, embora toda a razão de ser do livro e do blog seja ele, ela quer poupá-lo. Ele pode decidir o que quiser depois que aprender o que é estar nesse mundo.

Embora, como ela mesma diz, seja uma situação tão peculiar – uma mulher grávida que fica viúva – ela descobriu que muitas pessoas lêem o blog e se interessam pela sua trajetória porque, é claro, trata-se de uma história de amor. Um amor que nasce da superação da dor e da perda e da tentativa de lidar com um imprevisto cruel.

O mais incrível de toda essa história é que reuniu pessoas que nunca, provavelmente, se encontrariam. É isso, também, que tornou essa noite tão especial: as pessoas que estavam ali, emocionando-se com a história da Cris, também estavam encontrando novos amigos e começando uma nova história da afeto. Afeto e saber valorizar o que temos de mais importante: é assim que se aprende a viver.

Eu sempre penso nisso e, depois de ontem, vi que esse é um dos grandes segredos para se viver em paz, consigo mesmo e com os outros: saber ignorar o que parece ter importância, mas não tem, e valorizar o momento único e belo que jamais voltará. Lembro-me de uma frase do filme argentino O Filho da Noiva, que o personagem que perdeu a mulher e a filha pequena em um acidente diz para o amigo: “Quando você percebe que nunca irá te acontecer nada pior do que já te aconteceu, você adquire um certo poder”. Acho que a Cris tem esse poder.

Fiquei muito feliz de ter encontrado a Cris e, principalmente, de conhecer essas meninas lindas que começaram a fazer parte da minha vida nesta semana. Meninas de Sampa, vocês sabem onde eu estou. Ana, queria que o Rio fosse mais perto (uns 20 minutos, no máximo). Vamos ficar com as fotos, pra já ir matando as saudades.

 

img_4556

Cris Guerra e eu

img_4600

Dany, Lilian, Ana e eu com nossos livros autografados

img_4618

Ficamos até às 22h só pra bater essa foto